Ford Courier L 1.6 Flex 2008

Pronta para o trabalho.

 

Reportagem, Texto, Fotos: Mark Smith - Piloto de Testes FORDHP

Lançada no Brasil em 1996 já como modelo 1997, a Picape Ford Courier passa de seus 10 anos de idade. Com uma proposta diferenciada, principalmente após o ano de 1999 quando ganhou o estilo atual e o motor Rocam 1.6L, a Courier é a melhor opção do mercado de picapes pequenas quando o objetivo é capacidade de carga, confiabilidade e robustez.

Contando com um mercado cativo, em 2006, vendeu em média 720 unidades mensais e até junho de 2007, 775. Números respeitáveis para um veículo que não recebeu qualquer mudança significativa ou apelo de marketing nos últimos 7 anos.

Com a implementação do motor flexível, a unidade avaliada, L catálogo Base, nos mostrou toda sua aptidão para o trabalho e que a Courier ainda tem muito à oferecer. 

A linha

A Ford Courier tem reduzida oferta de versões e opcionais.

L 1.6

Motor: 1.6 Rocam Flex.

Série: Grade protetora vidro traseiro, Protetor de caçamba, Brake Light, PATS

Opcionais: A/C com aquecedor, DH, Vidros e travas elétricas. 

 

Van 1.6

Motor: 1.6 Rocam Flex.

Série: Grade protetora vidro traseiro, Protetor de caçamba, Brake Light, PATS

Opcionais: DH e Aquecedor. 

 

XL 1.6

Motor: 1.6 Rocam Flex.

Série: L Completa + Acabamento superior + Conta-Giros + Farol de Neblina + Iluminação da caçamba + Pára-choques Pintados + Rede Porta Objetos na cabine + Relógio

Opcionais: -

 

Para maiores informações, consulte o configurador online de veículos Ford (aqui).

Com preço de tabela partindo de R$ 29.960,00 (básico - julho/07), a Courier é o mais barato frente aos seus concorrentes com motorização comparável (Strada 1.8 Trekking - R$ 34.990,00, Montana 1.8 Conquest - R$ 31.387,00 e Saveiro City 1.8 - R$ 31.695,00). Equipado na versão XL, atinge no valor de tabela R$ 39.455,00. Existe ainda a versão Van, que traz de fábrica uma capota alta, deixando a Courier semelhante ao Fiorino em funcionalidade, mas com maior capacidade de carga.

  
Sem mudanças estéticas desde 2000, o modelo tem público cativo.

O Estilo 

Sem mudanças desde 2000, a Courier é um velho conhecido das ruas. Derivada do Fiesta Mk5 (street), o estilo é agradável mas não chama a atenção e tampouco se destaca nas ruas.

Nota-se a aptidão para o trabalho nos pára-choques pretos e na ausência de calotas

Devido a proposta do veículo, o uso de pára-choques pretos é positivo, bem como a utilização de rodas de aço sem calotas. A única mudança em relação ao modelo 2007 é a aplicação do emblema Flex na tampa traseira.

Interior e Equipamentos

Sem mudanças significativas desde o lançamento em 1996, o interior da Courier é bastante simples. A versão base não conta com revestimento de tecido nas portas e tampouco apoio emborrachado para os pés do motorista.


Interior simples mas de boa qualidade

Painel e Console:

O conhecido console tem soluções criativas para otimizar o espaço interno. À frente do passageiro o console é recuado, aumentando o espaço para as pernas. Os poucos comandos disponíveis estão bem localizados e sinalizados. Os materiais são de boa qualidade e aparência, herança da época em que os carros Ford eram referência em acabamento.


Painel com iluminação direta.

O painel, apesar de claro e de fácil leitura, sugere uma volta ao passado devido à iluminação direta sobre os instrumentos. Velocímetro, temperatura da água e nível de combustível estão lá, mas falta o conta giros.

Equipamentos:

A versão avaliada, básica, fica devendo aquecimento da cabine, muito útil para o desembaçamento do pára-brisa. A tampa do combustível, além de não ser comandada internamente, tem chave separada da chave de ignição, um retrocesso inaceitável. Além do indispensável, tem luz de cortesia e espelho no pára-sol do passageiro. Do lado de fora, brake-light, grade protetora do vidro traseiro e protetor de caçamba. 

Espaço, Ergonomia, Conforto e Caçamba:

O espaço interno é suficiente. Com motoristas de até 1,70m, sobra espaço para uma pequena mala atrás dos bancos dianteiros. A posição de dirigir é boa e o volante tem boa empunhadura.

Interior agradável e com espaço para pequenos volumes atrás dos bancos.

A visibilidade é muito boa. Os retrovisores externos tem boa dimensão e lentes convexas. Mas a grande protetora do vidro traseiro atrapalha um pouco a visão do retrovisor interno. Fica como ressalva a posição do extintor de incêndio, que incomoda  bastante o passageiro.


Extintor incomoda panturrilha do passageiro

A caçamba tem protetor de série e possui diversos ganchos para amarração de carga. A tampa é facilmente removível e sua remoção não interfere na condição legal de rodagem, pois a placa está no pára-choque.


A caçamba acomoda grandes volumes e sua tampa pode ser removida

Notas do Editor:

Conhecida no mercado por sua confiabilidade e robustez, a Courier por muitas vezes deixava de ser opção pela falta do motor Flex. Agora, além de agradar o seu mercado cativo, tem fôlego para conquistar novos consumidores.

 

Infelizmente, devido a falta de atualizações estéticas e campanhas de marketing, seria muita pretensão achar que a implantação da nova motorização trará a Courier de volta à mente do principal consumidor do segmento das picapes pequenas, jovens solteiros que procuram um veículo um pouco mais potente dos que os 1.0 e raramente usam suas caçambas.

 

Para o presente, acredito que possa-se esperar um incremento sensível nas vendas. Para o futuro, fica a dúvida se a Ford a substituirá por um derivado do "Novo Ka" ou continuará acomodada com a posição atual do produto.

 

 

Avaliações FORDHP - Início

www.fordhp.com.br